Tópico 2 A administração cultural na aplicação dos ODS

A cultura cria a oportunidade de as práticas quotidianas comuns aprenderem com o passado, ao abordarem questões de género, discriminação, violência e outros problemas da sociedade.

A administração cultural envolvida com estas questões forma construtivamente um caminho para que os ODS se apliquem eficazmente. Os passos são os seguintes:

-Conhecer-se a si próprio;

-Escolher o caminho a seguir;

-Implementar possibilidades.

Conhecer-se a si próprio.

As organizações centram a sua ação nos seus utilizadores. No entanto, as ações de administração cultural devem observar o seu foco e ter sobre ele um olhar mais profundo:

  • considere as estatísticas. O processo de investigação deve, ainda, ser sensível ao contexto sócio-cultural. Use todos os sentidos para conciliar o que vê com aquilo que lê;
  • observe exemplos. A compreensão deve ser feita a partir da cultura real, por isso, recolha dados em campo para complementar outros dados analisados;
  • interprete analisando. A compreensão deve resultar da complexidade do conhecimento e emergir como uma história, não como um gráfico simples.

Escolher o caminho a seguir.

As pessoas tendem frequentemente a concentrar-se em algo que não têm. A administração cultural convida os decisores a capitalizar o potencial disponível – o que o lugar e o contexto têm para oferecer:

  • contextualize-se com os planos de desenvolvimento. O desenvolvimento deve ser contextual e as ações relacionarem-se com o local e as suas necessidades;
  • perspetive. As estratégias relacionam-se com as expetativas futuras. Se assim for, a aplicação das ideias, quando materializada, vai ao encontro das expetativas em questão;
  • tenha os ODS enquanto valores e como missão. Valores e declarações de missão são de grande relevância para alcançar metas e objetivos, envolvendo, nesse processo, vários stakeholders;
  • fomente a transformação cultural. A integração dos ODS nas ações culturais molda a cultura em múltiplas dimensões. A dimensão sustentável cresce a partir da inércia.

Source: Karolien Brughmans on Unsplash

Implementar possibilidades.

A mentalidade capitalista atual é muito individualista. A administração cultural coloca esforços nos sistemas para um seu crescimento mais adequado:

  • sendo um organismo, não uma organização. A forma como uma instituição, grupo ou comunidade trabalha deve ser interpretada como um sistema de estruturas relacionadas. Todos os stakeholders são interdependentes. Este sistema de rede deve coexistir, caso contrário, cada membro é penalizado a longo prazo;
  • com possibilidades, não com opções. Cada ação tem de ser entendida como uma possibilidade para todo o sistema crescer. O foco deve ser colocado na procura de formas de colaboração, ou seja, de forma holística;
  • através da descoberta, não exploração. A procura de oportunidades e escalabilidade deve ser concretizada em parceria com outros. Existe co-crescimento criativo quando todos os envolvidos são estimulados a agir em conjunto em prol de todos e não apenas de alguns.

Source: Dario Valenzuela on Unsplash

cubesproject