Tópico 3 A importância da digitalização do património cultural

A digitalização do património cultural contribui para a oferta comercial das instituições culturais.

  • Valor acrescentado para a experiência cultural
  • Facilitação da construção de relações entre público e instituições, que é o elemento mais importante do marketing de relacionamento.

No entanto, a interactividade é um aspecto importante na comunicação e compreensão do património cultural. As técnicas multimédia oferecem muitas oportunidades;

  • Representação em 3D;
  • Ambientes virtuais;
  • Aparelhos sem fios;
  • Realidade Aumentada (RA);
  • Realidade Virtual (RV).

As organizações de património, nomoeadamente as bibliotecas, arquivos e museus, são os principais detentores de conteúdos culturais e científicos. São geralmente organizações sem fins lucrativos que visam proporcionar acesso a colecções a fim de facilitar a preservação do conhecimento (Bakhshi & Throsby 2012).

Aumentar e alargar a acessibilidade das colecções é um importante motor para que estas organizações adoptem novas tecnologias. A digitalização e publicação de colecções online pode potencialmente permitir o acesso a conteúdos em todo o mundo e, como tal, libertar este potencial de conhecimento ainda algo inexplorado.

A digitalização de “produtos” culturais pode ser uma parte fundamental de uma estratégia de marketing 360°. Uma estratégia de marketing 360° é uma ideia de campanha criativa completa em todos os elementos do marketing mix da marca, concebida para implementar uma estratégia da marca. Em palavras simples, uma campanha de marketing 360° centra-se na comunicação de uma mensagem consistente através de todos os meios disponíveis.

Fonte: https://unsplash.com/

Redes sociais digitais: moldar o carácter digital de uma instituição cultural

 

  • Os museus têm utilizado cada vez mais as redes sociais como um método importante para comunicar com o público actual e futuro, como, por exemplo, no que diz respeito aos anúncios da instituição.
  • As redes sociais permitem que o público em geral aceda à instituição a partir de sua casa.
  • Trata-se de uma forma interessante e barata de deixar o seu público alvo assistir a todo o processo de transformação da instituição cultural num contexto híbrido que inclui tanto o mundo físico como o digital.
  • As redes sociais que podem ser mais adequadas para as instituições culturais são o Facebook, Twitter e LinkedIn.

Fonte: https://unsplash.com/

Plataformas de promoção de instituições culturais

Graças à tecnologia moderna, hoje em dia é possível explorar milhares de galerias e museus a partir do conforto e segurança de casa. As visitas virtuais mostram o interior dos mesmos e transmitem a sua atmosfera. São muito utilizadas para fins educativos e comerciais. Uma visita virtual pode motivar alguém a visitar o museu físico.

A nossa tarefa é proteger a cultura. Se não há cultura, então nada pode ser feito. A cultura é uma ponte, e esta ponte deve ser a última coisa a ser destruída”.

Mikhail Piotrovsky, director do Museu Estadual Hermitage de São Petersburgo

cubesproject