Tópico 3 Angariação global de fundos em organizações culturais

A globalização facilita a expansão das trocas e do comércio internacional.

Atualmente, muitas organizações trabalham nas artes e no património cultural, criando projetos dirigidos para estas áreas.

O Fundo Internacional para a Diversidade Cultural da UNESCO é composto por muitos doadores e foi criado em 2005.

Objetivos:

  • Contribuir para o desenvolvimento sustentável e reduzir os níveis de pobreza nos países em desenvolvimento.
  • Apoiar projetos que visem gerir e promover o impacto cultural na sociedade moderna através de:

      –  atividades que valorizam a diversidade cultural e reforçam as organizações culturais; por exemplo, com mercados locais e regionais sustentáveis;

      – planos empresariais sustentáveis dedicados à cultura.

Image source: https://pixabay.com/

Image source: https://pixabay.com/

Estudo de caso 2: financiamento ao nível nacional com ajustes europeus, organizaçãoDiazoma

ONG criada em 2008, em Atenas.

Objetivo geral:

  • Proteger e administrar o património cultural através da assistência individual, local e governamental

Outros objetivos:

  • Proteger e administrar sítios antigos que ligam várias artes: Teatro, Odeon, Estádio, etc.;
  • Angariar fundos visando a sua restauração: acordos de planeamento/investimento, promoção dos cidadãos gregos, fundos nacionais/europeus;
  • Projetos que podem ser adaptados às exigências tecnológicas: por exemplo, animação 3D, visitas virtuais;
  • Desenvolvimento sustentável, através da conceção de programas de turismo cultural holístico/conetividade entre monumentos e empreendedorismo local – Rotas Culturais e Parques Arqueológicos.

Os cidadãos podem contribuir para o investimento na promoção dos teatros antigos, através das contas bancárias especiais dos “piggy banks”, que foram abertas individualmente para cada teatro. Foram utilizadas extensivamente as redes sociais para a sua promoção.

Angariação de fundos e competência intercultural

A competência intercultural é essencial para construir parcerias que dependem da estabilidade, integridade e compreensão mútua a um nível multicultural:

  • erradica a discriminação entre pessoas com antecedentes culturais diferentes.
  • ajuda os profissionais culturais a compreenderem profundamente a mentalidade dos seus patrocinadores e a adaptarem as suas práticas em conformidade.

A competência intercultural melhora o desempenho de uma organização e:

  • cria colaborações promissoras;
  • alarga a atividade das organizações;
  • gere eficientemente a parceria entre o patrocinador e a organização.

Domínios de competência intercultural

Se uma organização conhece eficientemente a cultura, civilização e mentalidade dos seus apoiantes, também conhece a melhor forma de os abordar. Os seguintes fatores culturais devem ser considerados no contacto com os financiadores:

  1. Língua
  • Qual a língua em que comunicam?

      2. Idade

  • De acordo com a análise estatística, a idade do patrocinador influencia o montante do patrocínio.
  1. Religião e espiritualidade
  • Os doadores podem ver a doação como uma forma de atividade religiosa por razões ideológicas ou religiosas.
  1. Nacionalidade
  • A identidade nacional afeta as competências comunicacionais do patrocinador, perspetivas de voluntariado e processos de tomada de decisão.

5.Género

  • Em muitos casos/países, o género do patrocinador influencia o processo da transação financeira. Está também ligado ao objetivo do próprio patrocínio.
  1. Aspetos socioeconómicos e educativos
  • O contexto educacional e social reflete a mentalidade do patrocinador e influencia o progresso da colaboração. As organizações precisam de adaptar a forma como a comunicação é conduzida de acordo com as características do patrocinador.

Fonte: Competência Intercultural para Angariação de Fundos Sem Fins Lucrativos https://ccsfundraising.com/intercultural-competence-for-nonprofit-fundraising/ 

cubesproject