Tópico 3 Lugar (Place)

O “lugar” engloba todos os canais e redes físicas, mas também digitais, onde o produto cultural pode ser adquirido e/ou experimentado. Os benefícios e restrições do “lugar” devem ser geridos. Ao conceber o marketing mix, devem ser considerados os seguintes aspetos do “lugar”:

  • infraestrutura física da organização cultural: a segurança, conforto, limpeza, acessibilidade, funcionalidade e estética dos espaços internos e externos da organização são importantes para os visitantes. Deve ser dada especial atenção à disponibilidade de serviços de higiene suficientes, ao funcionamento dos elevadores e do ar condicionado e à acessibilidade das pessoas com deficiência, dos idosos e das crianças. Além disso, as pessoas têm várias necessidades diferentes e uma organização cultural deve dar-lhes a melhor resposta possível. Serviços de café ou restaurante, WC, vestiários, balneários, lojas internas, espaços educacionais e sociais, wi-fi e até mesmo serviços de babysitting são muito interessantes e atraentes para os visitantes.

A special exterior set-up or interior decoration linked to a presented cultural product, enhances the visiting experience by creating a special ambience for the audiences.

  • a localização do espaço cultural é bastante importante, uma vez que um local central e acessível pode ser bem explorado. Alternativamente, no caso de uma organização estar localizada numa área distante ou insegura, as dificuldades de acesso devem ser abordadas, utilizando, por exemplo, autocarros para trazer pessoas para a organização, oferecendo descontos nos serviços de deslocação pendular, criando um ambiente seguro e bem iluminado, etc.;
  • o local contém também os pontos de distribuição do produto cultural. Inclui a venda de bilhetes e uma organização deve disponibilizar várias possibilidades aos seus visitantes para faze-lo de forma fácil, rápida e segura. A bilheteira tradicional foi largamente substituída pela bilheteira online personalizada, apoiada por vários serviços adicionais para ajudar o visitante a organizar o seu dia em torno da visita à organização cultural.

Source: Colonial Williamsburg, USA https://media.colonialwilliamsburg.org/media/documents/fall-mapguide2.pdf (Colonial Williamsburg: https://www.colonialwilliamsburg.org/visit/know-before-you-go/?from=navvisit)

  • as redes de distribuição do produto são também um aspeto que é bastante importante para as organizações culturais à luz da sua missão social. A divulgação a vários grupos não participantes inclui programas educativos ou artísticos em espaços abertos, escolas, locais de negócios, até prisões e hospitais. Além disso, as organizações culturais cooperam com outras instituições (culturais ou não), acedendo a públicos mais diversificados. Nestes casos, devem ser considerados e geridos os benefícios, mas também as limitações dos espaços alternativos;
  • as tecnologias da informação (TI) acrescentam uma nova dimensão ao “lugar”, nomeadamente através de espaços virtuais. Atualmente, a maioria das pessoas é informada através da Internet. O sítio web de uma organização cultural é talvez a primeira impressão de “lugar” que um potencial visitante obtém. Portanto, mais do que ter um sítio web em funcionamento e atualizado, as organizações devem comunicar o sentido, o ambiente e a promessa do local através do seu espaço virtual. Oferecer uma visita online ao local do evento é uma possibilidade que vale a pena considerar.

Museu Histórico Alemão, Google Arts & Culture Project

https://artsandculture.google.com/partner/deutsches-historisches-museum

cubesproject